As ligas acadêmicas são muito comuns nos cursos superiores. Estes grupos são responsáveis por unir os graduandos para debater, pesquisar e pôr em prática determinados assuntos através das produções científicas, reuniões semanais e atividades em espaços reais de trabalho. Na Unifacisa os cursos da área da saúde se destacam pela criação das ligas acadêmicas, sendo, alguns destes, com mais de 10 ligas em um único curso, por exemplo. Recentemente o curso de Farmácia, já conhecido pelas atividades multiprofissionais das suas ligas, fundou a LANFITO, a primeira Liga Acadêmica de Fitoterapia da Unifacisa.

Atualmente o grupo conta com 16 integrantes, são eles: Karla Monik Alves da Silva, Coordenadora da Liga; Maria Iasmim Alves Ferreira, Presidente; Elma Maria de Almeida L. Neta, Vice-Presidente; Airlla Karolina Santos Azevedo, 1° Secretária; Camylly Edyleusa Camilo Pessoa, 2º Secretária; Leonardo Silveira de Lima, Diretor de Comunicação e Marketing; Mariana Ferreira da SIlva, Diretora Financeira; Mariana Ferreira da Silva, Diretora Financeira; Saulo Lima de Oliveira, Diretor Científico; Ana Larissa de F. Silva e Sousa; Bianca Ferreira Mendes; Euder Gabriel Andrade Gomes; Rafaela Rodrigues dos Santos; Sarah Chaves Araújo; Vital Rodrigues Maciel Filho; Vitória Lia Santos Antunes e Yohanna Almeida de Andrade.

Os estudantes explicaram que a criação da união se deu através da necessidade de levar às pessoas informações sobre como fazer o uso correto de plantas  medicinais e fitoterápicos, bem como alertar que o consumo do “natural” não está livre de perigos. “O objetivo da liga é conscientizar sobre a importância das plantas medicinais e fitoterápicos no  tratamento e controle de doenças, seja de forma única ou em associação ao tratamento alopático, bem como a forma correta de obtenção das preparações e o uso seguro, promovendo ao consumidor e paciente a melhoria na sua qualidade de vida associada a uma boa eficácia terapêutica”, elucidaram.

Dentre as atividades desenvolvidas pela LAFITO estão: educações em saúde voltadas ao uso correto e seguro de plantas medicinais e fitoterápicos; Implementação de um horto e incentivo para implementação de uma farmácia viva no município de Campina Grande; Promoção de oficinas voltadas ao preparo de preparações medicinais, como infusões, decocto, garrafadas, florais e sabonetes fitoterápicos; Workshops e minicursos que abordam sempre os saberes populares e rituais do uso das plantas e sua correlação com as atividades farmacológicas e tóxicas; Avaliação da atividade farmacológica e toxicológica de plantas medicinais para produções científicas.

A forma de usar a fitoterapia impacta diretamente na qualidade do tratamento e efeito esperado pelos pacientes. Como este tipo de tratamento tem sido prescrito por médicos, nutricionistas e outros profissionais da área da saúde, a LAFITO é uma liga multidisciplinar que abraça estudantes de outros cursos da Unifacisa. “O uso de plantas medicinais e fitoterápicos tem sido alvo de uso em vários âmbitos da  saúde. Assim, cada curso atua dentro de suas habilidades. Por exemplo, os estudantes de Medicina  ficariam nas prescrições de plantas medicinais e fitoterápicos, bem como os de Nutrição; Os  estudantes de Farmácia, além de poderem focar em algumas prescrições, atuariam nas orientações quanto à forma correta e segura desses produtos; Os alunos de Educação Física poderiam atuar na comprovação da eficácia desses produtos nos desempenhos durante os exercícios físicos; Já os alunos de Enfermagem poderiam, por exemplo, atuar na busca desses produtos voltados ao tratamento de feridas e assim sucessivamente”, relataram.

Siga @lafito.cg para ficar por dentro dos processos seletivos e de outras atividades desenvolvidas pela liga.

Por André Bojim - Assessoria de Imprensa Unifacisa

A parceria entre a Unifacisa, Fundação Pedro Américo e a Rede Ita premiou o projeto das alunas do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unifacisa, Larissa Barbosa e Laura Wanderley, com supervisão do docente Eduardo Dantas, para a construção do cenário do programa junino “Arraial da Ita”, edição 2024. Dezenas de estudantes do curso da instituição participaram seguindo vários critérios, como, por exemplo, iluminação, cores, layout do palco e plateia. O concurso evidenciou a oportunidade dos estudantes colocarem em prática tudo o que aprenderam dentro dos muros da Unifacisa e nos estágios curriculares.

O projeto escolhido se destacou por seguir todas as propostas do edital, além de prestar homenagens ao aniversário de 160 anos de Campina Grande. “O processo de construção se deu a partir do conceito de valorização da arquitetura da cidade e regionalidade, sendo o São João o patrimônio cultural. Ademais, juntamos esse fato com foco em mais um ano da cidade de Campina Grande trazendo fachadas Art déco e elementos do local. Durante todo o processo, o professor Eduardo esteve a postos para tirar dúvidas e sugerir melhorias, além de guiar na questão de layout e materiais. Tudo foi muito válido e servirá de experiência futura. Tanto a prática da execução do projeto, fora dos 3D's, quanto o processo de trabalhar em conjunto em um tempo curto para atender às demandas solicitadas e podendo aplicar o conhecimento e vivência do curso”, disseram Larissa e Laura.

O Arraial da Ita é um dos mais importantes programas exibidos no mês de junho por resgatar toda a cultura e tradicionalidade do São João de Campina Grande. Poder participar da construção do cenário de um programa como esse é uma experiência de extrema importância e impacto profissional. “Quando o resultado final, além de ser premiado, é executado, a experiência se completa muito mais, agregando bastante ao currículo acadêmico das alunas. Ao ser convidado para orientá-las, tive a certeza que fariam uma ótima proposta, o que foi confirmando no decorrer do processo projetual. Mesmo sendo de períodos distintos do curso, as alunas uniram suas experiências e foram demonstrando domínio e maturidade sobre as decisões a respeito do tema abordado ”, disse o professor orientador, Eduardo.

Por André Bojim - Assessoria de Imprensa Unifacisa

Após obter resultados exitosos para os alunos de ambas instituições, além de propor iniciativas inovadoras para a saúde paraibana, o Desafio Unifacisa-Babson College, em 2024, chega a sua segunda edição com o intuito de continuar fomentando a inovação e o empreendedorismo na área da saúde. Por meio da Coordenação de Pesquisa e Extensão Universitária da Unifacisa e o Global Health Innovation Lab da Babson College, a parceria internacional também buscará alavancar a aprendizagem baseada na experiência.

Através da atuação de equipes de estudantes em projetos interdisciplinares e interinstitucionais, a iniciativa também fomenta o desenvolvimento econômico e social por meio da identificação e solução de problemas reais. Esta colaboração também é baseada na busca de soluções em tecnologia enquanto cultiva uma cultura em ecossistemas inovadores não apenas para os alunos da Unifacisa e da Babson, mas também para a comunidade em geral que é a principal beneficiada com a ação.

Os estudantes da Unifacisa interessados em participar devem se inscrever entre os dias 16 a 21 de maio. O programa começará a ser desenvolvido só entre agosto e dezembro de 2024. Segundo o coordenador de pesquisa e extensão da Unifacisa, Marcelo Lara, “neste novo ciclo o projeto reforça sua importância, além de fortalecer a parceria entre a Unifacisa e a Babson College. Programas internacionais de cooperação em atividades de extensão são bastante raros no Brasil e é uma grande satisfação que a instituição consiga proporcionar esta oportunidade aos seus estudantes”, concluiu. Confira o edital.

Requisitos para inscrição:

Os estudantes com perfil adequado aos projetos selecionados poderão ser convidados para participar de uma entrevista por meio do endereço de e-mail indicado no ato de inscrição. A relação dos selecionados pela comissão organizadora será publicada no portal da Unifacisa, além de comunicada aos selecionados. 

Cronograma de atividades: 

Visando dar continuidade ao cronograma de atividades que buscam ampliar o conhecimento dos discentes a respeito dos benefícios no Ecossistema, a Unifacisa, por meio do programa “Viver Unifacisa”, lançou o regulamento da “Trilha de Empreendedorismo Jovem 2024”. O material corresponde a uma competição junina, na qual os alunos poderão desenvolver competências relacionadas ao empreendedorismo no evento Viver São João.

Com o tema “Unifacisa Viver São João”, o regulamento lançado pela nova trilha permitirá que todos os alunos regularmente matriculados possam participar com equipes de no mínimo quatro pessoas e máximo de oito pessoas. Será permitido que as equipes sejam compostas por alunos de cursos diferentes no qual um único participante não poderá integrar mais de uma equipe.

A trilha será dividida em cinco fases com diferentes objetivos: 1) Divulgação e inscrição; 2) Encontros presenciais para a modelagem do negócio (Business Model Canvas); 3) Apresentação do Canvas (fase do planejamento) para uma banca avaliadora e realização dos ajustes necessários antes do evento; 4) Realização do Evento Junino (fase da execução); 5) Apresentação do Relato de Experiência com base no Canvas (planejamento x execução) e divulgação da equipe vencedora. Além disso, a conclusão de cada fase buscará resultar no desenvolvimento das seguintes competências:

Competência geral: 

Competências específicas:

As inscrições deverão ser realizadas por meio da plataforma Even3 de 15 a 20 de maio através do link. Tenha acesso ao regulamento clicando aqui.

O HackaTruck MakerSpace é um laboratório tecnológico itinerante que visa capacitar alunos de ensino superior em desenvolvimento Swift, iOS, Cloud Services com ênfase em serviços cognitivos e IoT.

Já conhecido por ser uma iniciativa que projeta capacitação profissional na área de  Tecnologia da Informação de maneira itinerante, o HackaTruck MakerSpace é um projeto de capacitação profissional tecnológica feito para estudantes de Instituição de Ensino Superior, que visa aprimorar a criatividade e a desenvolver protótipos de aplicativos e/ou soluções utilizando as tecnologias mais atuais de linguagem de programação Swift, Internet das Coisas e de serviços cognitivos em nuvem. Durante o período de 08/07 a 09/08 o veículo tecnológico estará estacionado no Centro Universitário Unifacisa para a realização de um curso sobre desenvolvimento de iOS para aplicativos móveis associados com Internet das Coisas (IoT - Internet of Things) em ambiente maker, e ênfase em conceitos e práticas de  serviços cognitivos em nuvem. 

A participação é voltada para os estudantes da instituição que realizarem um curso de ensino à distância e que participarem do processo seletivo disponível no site do projeto. Os participantes com a melhor pontuação serão selecionados para as aulas presenciais no caminhão tecnológico. Todos os concluintes das modalidades EAD e presencial têm direito a um certificado de participação, cada qual com uma carga horária distinta.

O laboratório móvel funciona como uma sala de aula e possui capacidade de 28 estudantes por período. Neste espaço são exercitados a capacidade criativa, o senso crítico, além da vivência da metodologia prática com a criação e o desenvolvimento de protótipos de aplicativos móveis. 

Segundo Karina Dias, gerente de inovação e carreiras da Unifacisa, “estamos muito felizes com a chegada do HackaTruck MakerSpace. Somos referência em formação na área da tecnologia e nossos alunos de ADS, Design, Jogos Digitais e Sistemas de Informação consolidam nossa performance de projetos relevantes. Receber iniciativas grandiosas como a do HackaTruck MakerSpace é oportunizar aos nossos alunos linguagens e aplicações com ferramentas tecnológicas de prática de mercado. Será sensacional, para nossos alunos estar em um ambiente de inovação tecnológica para desenvolver protótipos e aplicações com a IBM e parceiros, práticas para além da sala de aula e laboratórios, viver a criatividade em práticas colaborativas”, destacou. As turmas EAD serão preparatórias e eliminatórias. Os cursos são gratuitos com certificado de horas complementares. Os concluintes da etapa EAD ainda terão a chance de concorrer às vagas presenciais na mega estrutura sobre rodas.

Cronograma:

13/05: Bate-papo com os alunos da Unifacisa e o líder do programa Luís Flávio

09h e 19h - Teatro Facisa

13 a 23/06: Cadastro na plataforma do curso EAD

08/07 a 09/08: Curso presencial na Unifacisa

Saiba mais informações aqui.

O graduando da instituição relatou sobre sua preparação profissional e sobre a atual empresa em que trabalha

A metodologia de ensino da Unifacisa é inovadora. Através dela, os estudantes da instituição têm a oportunidade de lidarem com atividades práticas já nos primeiros dias de aula do curso, seja nos modernos laboratórios da faculdade ou em empresas parceiras que promovem os estágios supervisionados. A prática leva a perfeição e, por meio deste método, os alunos são orientados para lidarem com diversas questões do universo corporativo das inúmeras áreas de atuação. Com esta preparação se torna muito comum que alguns dos alunos conquistem evidência no mercado de trabalho mesmo antes de concluírem o curso, como é o caso de Daví Rodrigues Marques.

Atuando hoje na Omnilink Tecnologia, o acadêmico em Sistemas de Informação relatou como sua graduação tem lhe preparado para alcançar lugares como o que está ocupando atualmente. Segundo ele, “antes de iniciar a graduação, eu já tinha algum conhecimento em tecnologia e programação. Nas primeiras aulas na Unifacisa com as explicações dos docentes, consegui entender conteúdos ‘abstratos’ e abrir um vasto leque de entendimento em áreas mais avançadas. Os professores Daniel Abella e Fabrício Dias foram essenciais em minha jornada, não apenas transmitindo conhecimentos técnicos, mas também oferecendo valiosos conselhos pessoais e profissionais para minha carreira. A Unifacisa foi fundamental em minha preparação para o mercado de trabalho”, evidenciou.

Daví ainda relatou todo o seu esforço para estar preparado para as oportunidades que surgissem, dedicando-se aos estudos nos laboratórios da Unifacisa o máximo possível. “Ao ingressar na Unifacisa intensifiquei meus estudos para me consolidar como desenvolvedor Júnior. Após um período de estágio, concentrei-me em uma maratona de estudos aproveitando a estrutura da Unifacisa para superar desafios relacionados ao TDAH, entrando na universidade às 9h e saindo às 23h. Esse esforço resultou em minha contratação como Desenvolvedor Júnior na Omnilink Tecnologia. Desde o início me destaquei em meio a improbabilidade e, aos 19 anos, consegui me tornar desenvolvedor”, desabafou.

A Omnilink Tecnologia é uma empresa líder em soluções de logística no Brasil e está presente em todo o Mercosul. Dentre os principais produtos oferecidos estão a integração completa de soluções para gerenciamento de risco, gestão de frotas, rastreamento de veículos, telemetria avançada, iscas eletrônicas de carga e câmeras embarcadas. Na empresa, Daví atua como “desenvolvedor de software júnior na equipe do shownet e trabalho no desenvolvimento de soluções para gestão de frotas e rastreamento de veículos. Meu objetivo de médio prazo é me tornar um engenheiro de software especializado em desenvolvimento de aplicações seguras. A longo prazo, pretendo especializar-me em desenvolvimento de sistemas operacionais e programação de baixo nível”, concluiu.

Por André Bojim - Assessoria de Imprensa Unifacisa

Aconteceu na última segunda-feira (6), na sede do Complexo Judiciário Irmã Aldete, um encontro que reuniu professores e alunos do curso de Direito da Unifacisa com o juiz titular da Vara da Infância e Juventude da Comarca de Campina Grande, Perilo Lucena. O momento foi oportuno para o debate acerca de projetos inovadores que propõem inovação voltada à atenção às crianças e adolescentes vítimas de violências. Em torno de 60 estudantes puderam elucidar questionamentos junto ao magistrado que, juntos, possuem o intuito de contribuir para o contínuo desenvolvimento de políticas que assistam aos direitos da infância e da juventude.

Os debates ainda envolveram questões relacionadas aos desafios que o sistema judiciário enfrenta para garantir a diminuição dos ataques às vítimas. Além disso, também foi destacado a importância da interdisciplinaridade e do trabalho conjunto entre profissionais de diferentes áreas, como Direito e Psicologia, para oferecer um suporte completo às crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade. Segundo  o juiz Perilo Lucena, “os projetos desenvolvidos pelos alunos da Unifacisa na área da inovação têm sido uma iniciativa importante para promover uma abordagem mais eficaz e humanizada diante de casos tão sensíveis. A nossa missão é agilizar a tramitação e aplicar a lei, promovendo justiça entre as partes envolvidas”, explicou o magistrado.

“É muito importante especificamente conhecer esta realidade. Dentro do curso trabalhamos com o desenvolvimento de diversos projetos voltados para os mais vulneráveis e sempre buscamos relacionar os alunos com o Poder Judiciário. Neste encontro, em específico, foi muito importante porque o Dr. Perilo é um dos grandes expoentes do Judiciário local e tem feito um trabalho fantástico. A oportunidade de assisti-lo fazer uma apresentação da realidade e desafios enfrentados para combater a violência contra crianças e adolescentes, com certeza é muito proveitoso para os nossos alunos”, disse Marcelo Lara, professor do curso de Direito da Unifacisa. 

Por André Bojim - Assessor de Imprensa Unifacisa

A saúde mental é fundamental para o bem-estar de todos os indivíduos e merece atenção, assim como qualquer outro aspecto da saúde humana. A terapia psicológica é uma importante ferramenta em diferentes âmbitos da vida, como o auxílio no autoconhecimento, bem como nas relações com amigos, familiares, companheiros amorosos e na forma como o indivíduo vê o mundo.

Pensando em promover o acesso gratuito e cuidados à saúde mental da população, a Unifacisa, por meio do seu curso de graduação em Psicologia, fornece atendimentos filantrópicos em sua clínica-escola. O espaço possui parceria com entidades públicas da cidade de Campina Grande, como o Conselho Tutelar Municipal, a Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS) e a Secretaria Municipal de Saúde (SECSaúde). Além disso, os estagiários atuam sob a supervisão de professores e preceptores do curso, seguindo as diretrizes do Conselho Federal de Psicologia - CFP, do Código de Ética de Psicologia e da Lei 87.497/82 de estágio supervisionado.

Todos esses segmentos fazem o local ter um grande impacto para sociedade por meio de toda a sua assistência em diversos segmentos psicológicos. Em 2023, a clínica-escola de Psicologia da Unifacisa realizou mais de 2980 atendimentos. Segundo o coordenador do curso de Psicologia da Unifacisa, Adriano Barros, “a clínica-escola de Psicologia desempenha um papel multifacetado na sociedade, oferecendo serviços de saúde mental acessíveis à população socialmente vulnerável, contribuindo para a formação profissional de futuros psicólogos, realizando pesquisas importantes e ajudando a promover uma compreensão mais ampla sobre saúde mental”.

Os preceptores do local, os psicólogos e professores Walkene Alves Marinho e Geórgia de Oliveira Moura, explicaram que a clínica fica localizada na Avenida Severino Bezerra Cabral, n° 709, no bairro do Catolé. “Além da formação de profissionais qualificados para atuação em psicologia clínica, o serviço busca promover saúde mental e qualidade de vida de forma acessível a todos, baseando o seu trabalho na ética e na dignidade do ser humano”, enfatizaram sobre a missão da clínica.

Os atendimentos são abertos para todas as pessoas a partir dos cinco anos de idade e podem ser marcados a partir da central de atendimento no número (83) 2101-8840. O funcionamento acontece todos os dias de segunda a sexta nos seguintes horários: 

Por André Bojim - Assessoria de Imprensa Unifacisa

As atividades práticas no HELP (Hospital de Ensino e Laboratórios de Pesquisa) possibilitaram insights para os estudantes desenvolverem a iniciativa

A Unifacisa, por meio de sua metodologia de ensino pioneira, coloca o estudante como protagonista do seu processo de aprendizado e o incentiva a pensar em como poder contribuir socialmente com o que aprendem. Sob a supervisão de uma equipe pedagógica multidisciplinar, os estudantes da instituição têm conquistado cada vez mais espaços em diversas oportunidades que lhe são oferecidas. Nos cursos de graduação da área da saúde, o Hospital de Ensino e Laboratórios de Pesquisa (HELP) é um dos fatores primordiais que tem permitido que esses discentes desenvolvam e apliquem projetos.

Claudia Rayssa Gomes Bolo e Gabriela Marques Almeida são acadêmicas do curso de Nutrição da instituição e ao lado dos colegas de turma Gisllayne Brasil de Oliveira Santos, Laís Rodrigues Guedes, Ruth Estefânea Moreira de Farias e William Souto Fernandes, criaram o projeto intitulado de “HelpNutri”. A iniciativa tem o objetivo de criar protocolos de atendimento para pacientes com transtornos alimentares. “Com o tempo, o projeto expandiu-se para beneficiar não apenas pacientes com transtornos alimentares, mas também o público em geral, adotando a nutrição comportamental como base. A partir da percepção da necessidade de oferecer um suporte mais abrangente e personalizado para esse público, decidimos expandir nossa abordagem, reconhecendo a importância de considerar não apenas a saúde física, mas também o bem-estar emocional e mental dos indivíduos”, explicaram.

Os estudantes relataram que a ideia de criação do projeto se deu após visitas ao HELP, espaço onde os pacientes relataram sobre casos de transtornos alimentares. A partir daí, estava nítida a necessidade de protocolização da nutrição comportamental. “A aplicação destes tipos de protocolos permitem uma abordagem mais holística e centrada no paciente, promovendo mudanças sustentáveis e positivas na saúde e no estilo de vida das pessoas. Com o apoio de nossos professores, mergulhamos em pesquisas e estudos sobre nutrição comportamental, buscando compreender as necessidades específicas de nosso público-alvo. Assim sendo, a orientação e feedback constantes dos professores foram fundamentais para moldar nosso projeto, garantindo sua relevância e eficácia”, enfatizaram.

Dada a importância da iniciativa, os estudantes decidiram não resumir suas pesquisas apenas aos pacientes do HELP e submeteram o projeto a dois editais e obtiveram aprovação em ambos. “A submissão do nosso projeto no Impulse Campina foi realizada de forma online. Durante o processo, fomos solicitados a preencher um questionário detalhado, no qual apresentamos nossa equipe, discutimos o problema que buscamos resolver e descrevemos nossa solução inovadora. Além disso, estamos atualmente participando do programa de aceleração ‘OI Osten Aceleração’, que conta com o apoio do inovabra entre seus colaboradores. Neste programa, já estamos na quarta semana de mentoria intensiva, e tem sido uma experiência incrivelmente enriquecedora. As mentorias têm trazido diversos insights valiosos para a equipe, ajudando-nos a aprimorar ainda mais nosso projeto e a desenvolver estratégias eficazes para sua implementação. A participação nos programas estão sendo fundamentais para impulsionar o HelpNutri rumo ao sucesso e impacto desejados”, destacaram.

Os estudantes ainda enfatizaram que “como alunos da Unifacisa, a conquista do HelpNutri representou um marco significativo em nossas trajetórias acadêmicas e profissionais, destacando o apoio fundamental da universidade em nossas iniciativas empreendedoras. Além de nos proporcionar uma experiência prática e enriquecedora no campo da nutrição e empreendedorismo, o projeto nos permitiu aplicar os conhecimentos adquiridos em sala de aula de uma maneira tangível e impactante”, concluíram.

Por André Bojim - Assessoria de Imprensa Unifacisa

Coordenadora geral do grupo relatou sobre a história e atividades desenvolvidas pelo programa

Marcado por lembrar igualdade de gênero e legitimação dos direitos femininos na área da Tecnologia da Informação (TI), o Dia Mundial das Mulheres na TI, celebrado no dia 25 de abril, também é conhecido por trazer à reflexão a importância da presença feminina por ter trazido avanços significativos para o setor. Segundo o Blog de Tecnologia, se tornou comum o crescimento do público feminino na área em diversos segmentos que vão desde Ada Lovelace, a primeira programadora da história, até as mulheres que hoje lideram empresas de tecnologia. A Unifacisa apoia a atuação feminina na área de tecnologia por meio do projeto de extensão CodeRosa, composto por alunas dos cursos de de Sistemas de Informação e Jogos Digitais da instituição. 

A iniciativa surgiu em 2016 por meio de um grupo de alunas do curso de Sistemas de Informação que tinham o intuito de incentivar que outras mulheres se engajassem na área de tecnologia. Quase 10 anos depois o projeto segue consolidado e ainda mais aberto, sendo hoje encabeçado por 16 alunas. Michele Santos, coordenadora geral do CodeRosa, explicou que as atividades desenvolvidas são no âmbito do “apoio acadêmico, profissional e pessoal entre as alunas. Somos um coletivo feminino de tecnologia, então atuamos nessa área ministrando workshops, levando grupos de alunas a eventos de tecnologia voltados para o público feminino, aulas e apoio em disciplinas, lanches colaborativos como forma de integrar as alunas novas com as veteranas e muitas outras coisas”, disse.

A coordenadora comentou que foi dentro do CodeRosa que lhe foi oportunizada a ministração de palestras e workshops. Estas e outras oportunidades lhe ajudaram a se desenvolver até a conquista de estágio dando aulas em cursos profissionalizantes. Para elas, a importância das mulheres na TI se dá muito do que é enfatizado no projeto: “trata-se de uma busca constante de equidade. Vivemos com uma população de maioria feminina, logo independentemente da área deveria sempre haver uma presença significativa. O que não ocorre na área da tecnologia, onde somos minoria. Precisamos tomar consciência de que mulheres são boas também atuando na tecnologia. À todas que atuam na TI espero que permaneçam na jornada. Ela é longa, mas juntas podemos mais”, destacou. 

Ainda há muito para ser conquistado para que seja possível alcançar a equidade destacada por Michelle, mas é necessário continuar trabalhando por uma sociedade mais igualitária e justa para todas, principalmente no que diz respeito aos ambientes de trabalho com tecnologia. Neste mês de conscientização da presença feminina na TI, também é essencial parabenizar todas, independentemente da área de atuação, por cada conquista. Que juntas todas possam seguir fortalecendo e empoderando ainda mais espaços para que a equidade de gênero seja sempre comum. 

Está com dúvidas?

Temos uma turma pronta para te atender!

Conheça mais opções

Fale no WhatsApp

Tire suas dúvidas
Falar agora

Ligar

83 2101 8877
Ligue agora

Deixe uma mensagem

Deixe sua mensagem e nós entramos em contato com você
Enviar mensagem

Repositório Acadêmico

Editais, portarias, resoluções e outros documentos
Acesse agora

Manual do Candidato

Referente ao processo seletivo 2024.1
Fazer download

Sou Unifacisa

Acesso aos principais ambientes para alunos e colaboradores
Acesse agora

Unidades

Unifacisa - Campus Itararé

Av. Sen. Argemiro de Figueiredo, 1901 Itararé, Campina Grande - PB 58411-020
Abrir no maps

Unifacisa/Esac - Campus Catolé

R. Luíza Bezerra Mota, 200 Catolé, Campina Grande - PB 58410-340
Abrir no maps
CESED - Centro de Ensino Superior e Desenvolvimento Ltda.
© 2024 Todos os direitos reservados.
CNPJ: 02.108.023/0001-40
Tire suas dúvidas
crossmenu