Neste sábado, 25 de maio, o HELP – Hospital de Ensino e Laboratórios de Pesquisa fez história mais uma vez ao inaugurar suas usinas solares fotovoltaicas. De acordo com o Presidente do HELP, Dalton Gadelha, o hospital será o segundo na América Latina a operar com 100% de eletricidade gerada por painéis solares. Este marco é um grande passo para a sustentabilidade e eficiência econômica na área da saúde.

Durante a solenidade, o Presidente do HELP, pontuou o impacto na saúde pública e na gestão hospitalar com a construção da usina.

“O que estamos fazendo é nutrir os hospitais filantrópicos, como é o nosso caso, e sugerir aos políticos e gestores que façam isso nos hospitais públicos do Brasil inteiro, porque é uma economia muito grande que salva vidas, principalmente das crianças. Estamos vivendo uma situação de emergência em saúde pediátrica decretada pelo governo do estado da Paraíba, e assim, estaremos economizando para investir na pediatria e na obstetrícia. O que estamos fazendo aqui é uma grande conquista”, disse.

Ele ainda destacou a importância da equipe, mostrando que a colaboração, o comprometimento e a expertise dos profissionais envolvidos são fundamentais para transformar grandes ideias em realizações concretas. Dalton Gadelha ressaltou que “ter um time extraordinário é essencial para superar desafios e alcançar novos patamares. Poucas empresas na Paraíba podem contar com uma equipe tão dedicada e capacitada quanto a nossa, e é graças a esse esforço coletivo que estamos celebrando conquistas tão significativas”, afirmou.

Um dos coordenadores da equipe de engenharia da Fundação Pedro Américo, Épsilon Honorato, comentou sobre a relevância da usina.

“Essa usina tem importância para o HELP e para a sociedade. Não estamos falando só de uma usina que produz energia, mas de geração de vidas, porque tudo que se transforma em subsídio para o HELP, cada quilowatt que geramos é uma vida que está sendo tratada, uma vida que nasce. Para a sociedade, isso é uma usina para gerar o melhor”, disse.

O prefeito de Boa Vista, André Gomes, destacou a importância deste projeto para a cidade e a contribuição para a saúde pública.

“É uma alegria imensa receber mais um empreendimento de Dalton Gadelha, que tem feito um trabalho voltado para educação, saúde e medicina. É motivo de satisfação ter em nosso município uma usina que irá abastecer o hospital. Boa Vista está recebendo as duas usinas. O HELP, que nasceu grande, agora vai operar com 100% de energia solar. Estamos fazendo parte desse grande empreendimento”, pontuou.

Já o Diretor-presidente da YellowGreen Paraíba, Alberto Fontes, destacou a importância econômica e ambiental do projeto.

“É um investimento de retorno econômico financeiro muito interessante, dado o preço alto de energia no Brasil, sem contar que é uma energia limpa que ajuda o meio ambiente. Energia solar não produz poluição, gás, ruído. Estamos falando em sustentabilidade, é econômico, é limpo, e é um empreendimento amigo do meio ambiente e da natureza”, concluiu.

Nos próximos dias 24 e 25, os alunos da pós-graduação em Medicina da Dor da Unifacisa terão a oportunidade de vivenciar aulas com o Dr. Marcelo Valença, neurocirurgião especialista em cefaléia. O médico é mestre em Ciências Biológicas e Fisiologia pela UFPE, doutor em Fisiologia Geral pela USP, pós-doutor em Neuroendocrinologia no National Institutes of Health (Visiting Fellow, Neuroendocrinologia), USA e professor de Neurologia e Neurocirurgia da UFPE, além de presidente da Sociedade Brasileira de Cefaleia.

O encontro presencial com os médicos pós-graduandos se dará da seguinte forma: na sexta-feira (24), aula teórica na Unifacisa; e no sábado (25), aula prática no Hospital de Ensino e Laboratórios de Pesquisa (HELP). Por meio da sua vasta experiência e especialização na área da dor, a participação do médico terá papel fundamental para uma capacitação ainda mais completa para os médicos. No primeiro dia, o professor fará discussões de casos clínicos e steps sobre o tratamento medicamentoso e não medicamentoso com abordagem de procedimentos e treinamento nos protótipos (cabeça de isopor) para aplicação de botox e realização de bloqueios occipitais. No segundo dia será realizado atendimentos ambulatoriais e procedimentos para aplicação de botox e bloqueios de nervo occipital.

A participação do especialista reflete o compromisso firmado pela pós-graduação em Medicina da Dor na prática de sempre promover aos médicos o que houver de melhor e mais moderno na área da dor, com a ministração de quem é referência no assunto. O que os alunos viverão durante as aulas presenciais ao lado do Dr. Marcelo buscará incentivá-los a evoluírem dentro de suas áreas de atuação por meio do ensino aplicado ao cotidiano e das imersões práticas no HELP. Momentos como este mostram a qualidade acadêmica da capacitação e como sua metodologia se propõe a continuar inovando cada vez mais. 

Saiba mais sobre o programa de pós-graduação médica da Unifacisa aqui.

Já reconhecido por sua qualidade nos atendimentos filantrópicos, o Hospital de Ensino e Laboratórios de Pesquisa (HELP) se solidifica a cada dia mais como uma referência para a saúde da Paraíba e do Nordeste. O órgão é mantido pela Fundação Pedro Américo (FPA), com 60% dos atendimentos voltados para o SUS e 40% para particular/convênios. Além disso, o hospital tem em seu conceito a pesquisa e a inovação e visa desenvolver os acadêmicos do Centro Universitário Unifacisa com o que há de mais moderno e atualizado no mercado.

Dentre os muitos atendimentos oferecidos pelo hospital está a assistência odontológica também prestada por professores e alunos do curso de Odontologia da faculdade parceira. Os docentes José Eraldo Viana, Isa Jane, Clarissa Camelo, Smyrna Ximenes, Jamesson de Macedo, Igor Figueiredo e Mário César estão ao lado de alguns alunos do 9º e 10º semestre do curso. Os atendimentos oferecidos são os de laserterapia de baixa intensidade através do ambulatório; triagem e avaliação das DTM’s; atendimento aos pacientes em enfermaria; atendimento aos pacientes oncológicos e em hemodiálise; atendimento ao paciente em UTI. Cada uma das assistências acontece por meio das visitas da equipe de alunos e professores a cada um destes setores. Às pessoas que nunca foram atendidas no HELP e se interessaram por um dos atendimentos devem realizar agendamento prévio pelo (83) 3063-9960.

O professor José Eraldo explicou como se dá o atendimento dos pacientes. Segundo ele, “lidamos com quadros diversos, como pacientes com Disfunção Temporomandibular (DTM), dores orofaciais e casos de parestesia pós extração dentária. Os pacientes oncológicos e renais crônicos recebem avaliação das condições bucais, orientações e manejo para evitar o desenvolvimento de possíveis complicações orais. Aqueles com mucosite em decorrência do tratamento oncológico também recebem tratamento com laserterapia. Os internados em UTI são avaliados um a um na busca de focos de infecção na cavidade bucal, presença de lesões, além da qualidade da higiene bucal. Os pacientes com ventilação mecânica possuem quadros críticos e, por isso, a presença da equipe odontológica tem papel fundamental na evolução desses pacientes”, pontuou.

Antes de adentrar os espaços hospitalares os alunos são orientados pelos professores durante cada etapa dos procedimentos. O docente José Eraldo explica que, frente ao concorrido mercado de trabalho, estes estudantes se destacam pelas valiosas experiências oportunizadas com as práticas no HELP. “A Odontologia Hospitalar é a especialidade mais recente da odontologia e só foi reconhecida em janeiro deste ano. O HELP abriu as portas para que os estágios possam acontecer através da prática clínica dentro de um hospital de grande complexidade, onde os alunos conseguem vivenciar os casos que muitas vezes só ouviriam na teoria”, destacou.

Por André Bojim - Assessoria de Imprensa Unifacisa

Segundo o Diretor da Faculdade de Medicina da Unifacisa, Dr. Diego Gadelha, no universo da medicina, um tema que está em alta é sobre o atendimento médico humanizado. Para ele, este tipo de assistência se contrapõe ao suporte mecânico e tecnicista resultante da “sobrecarga de trabalho, da falta de recursos ou do esgotamento provocado por sistemas de saúde diversas vezes saturados”, explicou. Além disso, o diretor faz ressalvas sobre os riscos que esta realidade pode trazer: “este tipo de atendimento gera mais do que somente a frustração, podendo levar a diagnósticos precipitados ou tratamentos inadequados, colocando em risco, inclusive, a saúde do paciente”, destacou.

A partir desta realidade é possível identificar que a busca por um atendimento que zele pelas particularidades humanas tem estado em destaque como é afirmado na pesquisa da plataforma Doctoralia, onde 63% dos entrevistados usaram o atendimento humanizado como principal parâmetro para escolha de consultas com profissionais médicos. Felizmente, coincidindo com esta busca, o atendimento humanizado também vem sendo pautado já na formação acadêmica dos futuros profissionais da medicina, como é o caso da graduação em Medicina do Centro Universitário Unifacisa. Sendo referência no ensino médico com conceito máximo no MEC, o curso da instituição também oferece uma metodologia pioneira e prática desenvolvida em parceria com a Universidade de Maastricht.

Na Unifacisa a inovação acontece aliando tecnologia e humanização, o que coloca o ensino médico em um posto de referência no Nordeste. Fundada em 1999, a instituição é composta por um conglomerado de empresas segmentadas nas áreas de educação, esporte, cultura, saúde e desenvolvimento social. O Centro Universitário tem uma estrutura de laboratórios de ponta, bibliotecas com acervos físicos e digitais, clínicas-escolas e hospitais. Cada um destes atributos proporciona uma formação completa e socialmente humana que transforma estudantes em médicos e também em cidadãos. Veja mais sobre a Unifacisa.

Dentre os muitos pontos que distinguem o ensino da medicina da Unifacisa com o das demais instituições, um ponto se ressalta: o HELP - Hospital de Ensino e Laboratórios de Pesquisa. Como o princípio da formação médica da instituição é criar um elo entre o médico e paciente por meio do atendimento humanizado, o HELP veio como uma chancela desta premissa. Com uma área construída de 30.000 m², incluindo ambulatórios, 400 leitos de internações, pronto atendimento, 24 salas no centro cirúrgico e obstétrico, centro de imagem, UTI, centro de oncologia, medicina nuclear, hemodiálise, centro de estudos e pesquisas, o hospital é selado com seu porte regional. Cada uma destas e outras qualidades impulsionaram o hospital a conquistar reconhecimento internacional pelo seu excepcional projeto arquitetônico e design que combinam inovação e sustentabilidade. Veja mais sobre o HELP.

No HELP, cada estudante de saúde da Unifacisa tem a oportunidade de praticar com o que há de mais moderno no conceito de atendimentos à população por meio de uma convergência entre a empatia e a capacidade de conectar profissionais aos pacientes. É através destas e muitas outras práticas que a metodologia de ensino da Unifacisa é destacada, uma vez que, por meio dela, o acadêmico em medicina é o protagonista do seu aprendizado e com foco total no desenvolvimento de competências técnicas e humanas. Veja mais sobre o curso de Medicina da Unifacisa.

Para além da graduação, a Unifacisa ainda se preocupa com a educação após o bacharelado em Medicina. Pensando nisso e em continuar capacitando e destacando ainda mais seus egressos médicos por meio da inovação e da humanização, a instituição lançou seu programa de pós-graduação médica onde oferta os seguintes cursos: Medicina do Exercício e do Esporte; Dermatologia; Medicina da Dor; Medicina do Trabalho e também estará ofertando a pós-graduação médica em Psiquiatria. Todas as capacitações buscam proporcionar atualizações condizentes com as exigências das respectivas especialidades através dos componentes teóricos e práticos aplicados no HELP. Além disso, cada uma delas possui as maiores cargas horárias práticas se comparadas aos outros cursos de pós-graduação do Brasil. Os cursos também usam a metodologia centrada no aluno que coloca-o como protagonista do processo de aprendizagem e que o impulsiona ao desenvolvimento de autonomia, responsabilidade e capacidade de tomada de decisões. Veja mais sobre o programa de pós-graduação médica da Unifacisa.

A partir das amostragens de como seguir uma carreira médica e ao mesmo tempo humana, conclui-se que, no que diz respeito a humanização na medicina, vivemos em uma atual transformação gradual em que cada passo na assistência e promoção da saúde destaca a redefinição do papel médico frente à sociedade. Para isso, é essencial que os futuros e atuais médicos estejam sintonizados com estas tendências para continuar legitimando os desafios da profissão, mas, também, valorizando e evidenciando o atendimento humanizado. Para iniciar sua carreira de destaque na Medicina e ter internalizado o atendimento humano, atualizado e seguindo as exigências do setor, faça parte do curso de Medicina da Unifacisa. Veja mais sobre como ingressar na instituição aqui.

Por André Bojim - Assessoria de Imprensa Unifacisa

Durante a manhã desta quarta-feira (3) aconteceu, na Câmara Municipal de Vereadores de Campina Grande, uma moção de aplausos com o intuito de homenagear os arquitetos responsáveis pelo projeto do Hospital de Ensino e Laboratórios de Pesquisa - HELP. O projeto tem como arquiteta responsável, a diretora da Unifacisa, Carolina Gadelha, e os arquitetos Andreia Cardoso de Oliveira e Eric Roberto dos Santos. 

A homenagem foi uma propositura da Vereadora Jô Oliveira, após a arquitetura do Hospital ter recebido reconhecimento internacional com duas premiações. “Eu sou entusiasta da educação e sei o quanto é importante a gente reconhecer as pessoas que elevam o nome de Campina Grande. Neste caso, estamos falando de pessoas que são filhos da terra e que levaram o nome da nossa cidade para ser reconhecida como referência. Algumas vezes essas pessoas daqui levam um diferencial lá para fora, mas não são reconhecidas. Então, é necessário ter essa preocupação de trazer esses votos de aplausos e reconhecimento para aqueles que têm dedicado tempo, formação e, principalmente, porque colocam o nome de Campina Grande no hall da inovação”, destacou a vereadora. 

O projeto arquitetônico do HELP conta com uma área de 30.000 m², incluindo ambulatórios, internações, pronto atendimento, centro cirúrgico e obstétrico, centro de imagem, UTI, centro de oncologia, medicina nuclear, hemodiálise, centro de estudos e pesquisas que chancelam o hospital com aporte regional. Cada uma destas e outras qualidades impulsionaram o hospital a conquistar reconhecimento internacional pelo seu excepcional projeto arquitetônico e design na categoria profissional. 

No ADC – ARCHITECTURE & amp; DESIGN COMMUNITY, na categoria de edifícios para a saúde, o HELP conquistou o prêmio internacional de arquitetura. Já no World Architecture Festival 2023, evento mais prestigiado do universo da arquitetura, ocorrido em Marina Bay Sands, Singapura, o hospital ficou entre os oito finalistas da edição. Lá, foi evidenciado seu compromisso em fornecer uma infraestrutura de última geração, combinando inovação e sustentabilidade.

Mediante a tais conquistas e a partir da moção de aplausos ocorrida hoje, os arquitetos homenageados declararam felicidade com a homenagem.

“Este é um momento de muita alegria. Estamos nos sentindo honrados de representar toda a equipe que trabalhou nesse projeto grandioso do HELP e de sermos lembrados pela cidade de Campina Grande. É motivo de muita gratidão e orgulho”, pontuou Carolina Gadelha. 

“Estamos muito felizes com essa oportunidade ímpar na nossa carreira e eu só tenho a agradecer a Deus por este momento”, disse a arquiteta Andreia Cardoso.

“É um momento de muita felicidade por todo o trabalho que fizemos ao longo destes anos e que entregamos com a inauguração do HELP. É um reconhecimento da cidade, por meio da Câmara Municipal, e estamos gratos”, complementou Eric Santos.

Na ocasião, além dos homenageados, estiveram presentes a Reitora da Unifacisa e Presidente da Fundação Pedro Américo, Gisele Gadelha; o Chanceler da Unifacisa e Presidente do HELP, Dalton Gadelha; diretores, gerentes e coordenadores de cursos da Unifacisa, bem como o conjunto de atuais vereadores que compõem a câmara. 

A especialidade denominada de “medicina do trabalho” objetiva a prevenção das doenças no exercício profissional, bem como o controle de riscos no ambiente corporativo. A atividade na área está ligada ao cumprimento das normas governamentais que todas as empresas precisam seguir com o intuito de promover a saúde dos seus colaboradores. Segundo uma pesquisa desenvolvida pela Marsch Telemedicina, atualmente, os ambientes trabalhistas e grandes multinacionais estão mais conscientizadas sobre o assunto e, por conta disso, já realizam consultas com médicos especialistas em medicina do trabalho como fator de qualidade para sua produção.

Dentro desta realidade, os profissionais da medicina enxergam a área como uma excelente oportunidade para crescimento profissional. O Centro Universitário Unifacisa, com o intuito de proporcionar atualizações condizentes com as exigências do mercado de trabalho na área de saúde dos trabalhadores, está oferecendo o curso de pós-graduação em medicina do trabalho. A capacitação possui componentes teóricos e práticos aplicados no HELP (Hospital de Ensino e Laboratórios de Pesquisa) e em indústrias parceiras, sendo destinada a todos os médicos que buscam aprofundar seus conhecimentos em uma das áreas que mais tem crescido: a medicina do trabalho.

Por meio de uma metodologia de ensino centrada no aluno que o coloca como protagonista do processo de aprendizagem e que o impulsiona ao desenvolvimento de autonomia, responsabilidade e capacidade de tomada de decisões, o curso promove uma capacitação completa que permite ao médico pós-graduando o manejo adequado no atendimento de profissionais. De maneira dinâmica e com a maior carga horária prática do mercado, o curso carrega como premissa a qualificação de médicos dispostos a contribuírem para a qualidade de vida de colaboradores das mais diversas idades e atividades profissionais.

A capacitação ainda fornece ao médico os conhecimentos específicos a respeito dos aspectos médicos legais e técnicos do ambiente de trabalho, além de promover o desenvolvimento das habilidades necessárias para avaliar riscos e elaborar programas legais. A pós-graduação da Unifacisa também visa ampliar as oportunidades de atuação profissional, tanto no setor público quanto no privado, visto que o mercado de trabalho para esse profissional vem se expandindo cada vez mais em função da crescente preocupação com a saúde e segurança dos trabalhadores. Dentre as muitas possibilidades de atuação do médico do trabalho estão:

1 - Empresas privadas: o médico do trabalho pode ser contratado por instituições de diversos segmentos para promover a saúde e segurança dos trabalhadores, avaliar riscos ocupacionais, elaborar programas de prevenção de doenças e acidentes de trabalho, realizar exames médicos admissionais, periódicos e demissionais, entre outras atividades;

2 - Órgãos públicos:  possibilidade de atuação em ambientes como Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, Ministério da Saúde, Ministério do Trabalho e Emprego e Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), entre outros. Para desenvolver políticas públicas de saúde do trabalhador, fiscalizar as condições de trabalho e garantir o cumprimento das normas regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho;

3 - Universidades: atuação como professor ou pesquisador em universidades, contribuindo para a formação de novos profissionais da área e desenvolvendo pesquisas sobre saúde do trabalhador;

4 - Clínicas e hospitais especializados em saúde do trabalhador: por meio da realização de atendimentos clínicos, diagnósticos e tratamentos de doenças ocupacionais, além de prestar suporte para a reabilitação de trabalhadores acidentados;

5 - Consultorias: através da prestação de serviços para empresas, sindicatos e órgãos públicos, na elaboração e implementação de programas de prevenção de doenças e acidentes de trabalho, bem como na avaliação de riscos ocupacionais e na orientação sobre a legislação trabalhista e previdenciária.

A aplicação de todas as diretrizes da pós-graduação fica por conta de um corpo docente formado por profissionais médicos multidisciplinares que estão por dentro das tendências e avanços da área. Com formações em universidades renomadas no país e no exterior, cada um desses profissionais possui ampla experiência clínica e acadêmica que será compartilhada através de aplicações teóricas e práticas, além de oferecerem supervisão durante todo o processo.

Tenha acesso ao corpo docente, componentes curriculares e inscrições aqui.

Por André Bojim - Assessoria de Imprensa Unifacisa

Mais um marco na história do HELP, em Campina Grande, uma jornada filantrópica que inspira esperança e solidariedade. No dia 05 de outubro de 2023, nasceu Pedro Cunha Heinen, o 1º bebê do hospital.

O nascimento de uma criança é sempre um momento especial, mas a chegada do primeiro bebê do Hospital HELP transcende a singularidade. Foi, sem dúvida, um momento emocionante e possível graças à filantropia, tornando-o um testemunho de como o cuidado e o apoio podem unir todos em prol de um bem maior.

Em entrevista a nossa equipe, a designer Thayanna Cunha Heinen, mãe de Pedro, afirmou que foi surpreendida, não somente pela estrutura única do HELP, mas pela equipe de profissionais que compõe o hospital.

“Pedro foi muito abençoado. Desde o início, da proposta de vir para cá e quando chegamos aqui fomos mais do que surpreendido, não somente pela estrutura do local, mas pelas pessoas. Não se faz uma estrutura tão grande apenas com prédio. Existem as pessoas, e a gente foi amado por cada pessoa que passou aqui. Pela equipe do HELP e da florear, a médica obstetra, Aline Nunes, enfermeira obstetra, Núbia Santos, pediatra, Paulo Martins, doula, Vanessa Santos, enfim, todos nos acolheram. Na verdade, hoje o mundo é tão corrido que as pessoas não param para olhar ninguém, e aqui nós recebemos essa pausa de fato. As pessoas nos olharam, recebemos amor de pessoas que nunca tínhamos visto na vida. Nos sentimos muito privilegiados de ser a primeira família a estar aqui. Honrados com essa oportunidade, não temos como negar isso, estamos muito felizes”, afirmou.

Ela disse ainda que o HELP trouxe para Campina Grande um novo conceito de saúde.

“Que seja um marco para o hospital. Que todas as famílias que passem por aqui saiam com esse sentimento de amor, que é o que nós estamos carregando. A gente percebeu o amor de vocês antes de chegarmos aqui, todos os cuidados, a touquinha, o jackinho. O HELP é um hospital do amor. Toda nossa gratidão ao hospital e a Fundação Pedro Américo que nos proporcionou uma infraestrutura incrível e também uma equipe de profissionais fora de sério. Ficamos absolutamente impactados com o que vimos e vivenciamos”, finalizou.

Em uma rede social, Thayanna fez um relato de parto.

*Todas as imagens foram cedidas e autorizadas pela família.

**Através da filantropia da Fundação Pedro Américo, não houve nenhuma cobrança do parto/ internação para a família.

A ação será realizada em parceria com a Unifacisa, Fundação Pedro Américo e Polytech. As cirurgias não terão nenhum custo para as pacientes e serão beneficiadas mais de 30 mulheres.

No mês dedicado à conscientização sobre o câncer de mama, o HELP demonstra seu comprometimento com o Outubro Rosa através de uma iniciativa que vai além da medicina. O hospital irá iniciar um Mutirão de Reconstrução Mamária, no dia 13 de outubro, exclusivo para pacientes atendidas pelo SUS e encaminhadas, através de critérios médicos preestabelecidos, para participar da ação em parceria com a empresa Polytech que doou as próteses mamárias.

A ação conta ainda com a parceria do cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Preceptor do Serviço de cirurgia plástica do Hospital das Clínicas da UFPE, Pedro Pita, do cirurgião plástico titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Preceptor do Serviço de cirurgia plástica do Hospital das Clínicas da UFPE, Igor Luna, a cirurgia plástica, Isis Lacerda e as mastologistas: Cristiane Araújo, Ana Livia, Thássia Mariz, Gianca Porto, Simone Castro, Stefania Nóbrega, Adriana Cariri, Cristina Santos, Fátima Cristina e Ana Helena.

A mastectomia é uma intervenção cirúrgica, em muitos casos, crucial que envolve a remoção total ou parcial da mama, geralmente como parte do tratamento do câncer de mama. Embora essa cirurgia seja uma etapa essencial para combater a doença, muitas mulheres enfrentam consequências físicas e mentais significativas após a mastectomia.

Para a Diretora de qualidade do HELP, Bianca Gadelha, essa iniciativa não restaura apenas a aparência física, mas melhora a qualidade de vida e autoestima das mulheres que passam pelo trauma da retirada de uma parte ou de toda a mama. “A perda da mama é um desafio emocional profundo para muitas mulheres. Além do impacto físico, essa experiência pode abalar a autoestima. Nossa ideia é proporcionar, a estas mulheres, uma reconexão com seus corpos, celebrando sua força e resiliência”, pontuou.

De acordo com o Cirurgião Plástico, Preceptor do Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, Pedro Pitta, a reconstrução mamária após a mastectomia é parte fundamental do tratamento integral e multidisciplinar do câncer de mama.

“A seleção das mulheres é cuidadosamente feita em outubro, levando em consideração as condições médicas individuais, especialmente as recomendações do oncologista. As próteses foram doadas pela empresa Polytech, uma das melhores do mundo. Estou muito feliz em participar dessa ação aqui em Campina Grande. Ano passado, 50 mulheres foram beneficiadas no Hospital das Clínicas em Pernambuco”, pontuou.

Segundo ele, a ideia é criar um núcleo de reconstrução mamária no HELP, que possui uma infraestrutura de excelência na área de oncologia. Isso demonstra o compromisso contínuo em oferecer aos pacientes o melhor atendimento possível.

A triagem para participar da ação está sendo feita pelos mastologistas parceiros da cidade, e em breve, novas avaliações serão feitas.

As doações podem ser feitas, até o dia 10 de outubro, na recepção da Unifacisa, no campus do Itararé, ou na recepção ambulatorial SUS, no Hospital HELP.

No espírito de solidariedade e cuidado, a Unifacisa, Fundação Pedro Américo e o Hospital HELP lançaram uma parceria voltada para o Dia das Crianças. Com a chegada de outubro, mês conhecido por celebrar a data, a iniciativa conjunta visa alegrar o dia dos pacientes do SUS que estejam sendo atendidos no Hospital HELP, Hospital da Criança e Centro estudantil Nova Geração - Ramadinha.

A preferência é por brinquedos educativos e que possam ser higienizados com água e sabão ou álcool, além disso, podem ser doados roupas ou kits de higiene para as crianças.

A Campanha busca envolver não apenas a comunidade acadêmica da Unifacisa, mas também colaboradores do ecossistema, em uma corrente de generosidade. Ao fazer a doação, você estará contribuindo para um gesto de afeto que pode fazer toda a diferença na recuperação e bem-estar das crianças.


Como Contribuir
Participar dessa ação é simples e gratificante. As doações podem ser feitas, até o dia 10 de outubro, na recepção da Unifacisa, no campus do Itararé, ou na recepção ambulatorial SUS, no Hospital HELP.

“No mês das crianças, estamos unindo esforços para levar alegria, esperança e conforto às crianças no tratamento no SUS da pediatria do HELP e do Hospital da Criança, além dos pequenos da ONG - Centro estudantil Nova Geração - Ramadinha. Sua doação não é apenas um brinquedo ou roupa, mas sim um gesto que pode transformar vidas e aquecer corações”, afirmou o coordenador de eventos da Unifacisa, Eduardo Raposo.

A partir desta quinta-feira, 28, o Hospital Help dará início às Cirurgias Eletivas pelo SUS, marcando o início do Programa Nacional de Redução das Filas de Cirurgias Eletivas. Essa iniciativa visa atender à demanda reprimida e oferecer uma gama diversificada de procedimentos médicos.

De acordo com o diretor de relacionamento com o SUS do HELP, Filipe Reul, o hospital conquistou habilitação junto ao Ministério da Saúde no Programa Nacional de Redução das Filas de Cirurgias Eletivas, Exames Complementares e Consultas Especializadas - PNRF.

“Esse programa tem como objetivo principal a redução da demanda reprimida de procedimentos eletivos para usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Os pacientes beneficiados pelo programa são regulados pela Secretaria Municipal de Saúde de Campina Grande, garantindo uma distribuição equitativa dos procedimentos médicos entre aqueles que mais necessitam”, pontuou.

O HELP oferecerá diversas especialidades, incluindo cirurgias de cabeça e pescoço, bariátrica, ortopedia pediátrica, cardiovascular, oncológicas, entre outras. Isso amplia significativamente a capacidade do hospital em atender às diversas necessidades médicas da comunidade.

“Ao embarcar nessa iniciativa, o Hospital HELP reitera seu compromisso em fornecer cuidados de saúde acessíveis e de qualidade para todos”, finalizou.

Desde o dia 15 de maio, o HELP iniciou os atendimentos de internação na área de pediatria SUS e leitos de UTI pediátrica. Além disso, conta com o HELP Imagem, oferecendo serviços raio-x, ultrassonografia, tomografia e ressonância Magnética para o SUS, hemodiálise e internação clínica adulto com leitos de enfermaria e UTI.

Está com dúvidas?

Temos uma turma pronta para te atender!

Conheça mais opções

Fale no WhatsApp

Tire suas dúvidas
Falar agora

Ligar

83 2101 8877
Ligue agora

Deixe uma mensagem

Deixe sua mensagem e nós entramos em contato com você
Enviar mensagem

Repositório Acadêmico

Editais, portarias, resoluções e outros documentos
Acesse agora

Sou Unifacisa

Acesso aos principais ambientes para alunos e colaboradores
Acesse agora

Unidades

Unifacisa - Campus Itararé

Av. Sen. Argemiro de Figueiredo, 1901 Itararé, Campina Grande - PB 58411-020
Abrir no maps

Unifacisa/Esac - Campus Catolé

R. Luíza Bezerra Mota, 200 Catolé, Campina Grande - PB 58410-340
Abrir no maps
CESED - Centro de Ensino Superior e Desenvolvimento Ltda.
© 2024 Todos os direitos reservados.
CNPJ: 02.108.023/0001-40
Tire suas dúvidas
crossmenu