Após obter resultados exitosos para os alunos de ambas instituições, além de propor iniciativas inovadoras para a saúde paraibana, o Desafio Unifacisa-Babson College, em 2024, chega a sua segunda edição com o intuito de continuar fomentando a inovação e o empreendedorismo na área da saúde. Por meio da Coordenação de Pesquisa e Extensão Universitária da Unifacisa e o Global Health Innovation Lab da Babson College, a parceria internacional também buscará alavancar a aprendizagem baseada na experiência.

Através da atuação de equipes de estudantes em projetos interdisciplinares e interinstitucionais, a iniciativa também fomenta o desenvolvimento econômico e social por meio da identificação e solução de problemas reais. Esta colaboração também é baseada na busca de soluções em tecnologia enquanto cultiva uma cultura em ecossistemas inovadores não apenas para os alunos da Unifacisa e da Babson, mas também para a comunidade em geral que é a principal beneficiada com a ação.

Os estudantes da Unifacisa interessados em participar devem se inscrever entre os dias 16 a 21 de maio. O programa começará a ser desenvolvido só entre agosto e dezembro de 2024. Segundo o coordenador de pesquisa e extensão da Unifacisa, Marcelo Lara, “neste novo ciclo o projeto reforça sua importância, além de fortalecer a parceria entre a Unifacisa e a Babson College. Programas internacionais de cooperação em atividades de extensão são bastante raros no Brasil e é uma grande satisfação que a instituição consiga proporcionar esta oportunidade aos seus estudantes”, concluiu. Confira o edital.

Requisitos para inscrição:

Os estudantes com perfil adequado aos projetos selecionados poderão ser convidados para participar de uma entrevista por meio do endereço de e-mail indicado no ato de inscrição. A relação dos selecionados pela comissão organizadora será publicada no portal da Unifacisa, além de comunicada aos selecionados. 

Cronograma de atividades: 

Visando dar continuidade ao cronograma de atividades que buscam ampliar o conhecimento dos discentes a respeito dos benefícios no Ecossistema, a Unifacisa, por meio do programa “Viver Unifacisa”, lançou o regulamento da “Trilha de Empreendedorismo Jovem 2024”. O material corresponde a uma competição junina, na qual os alunos poderão desenvolver competências relacionadas ao empreendedorismo no evento Viver São João.

Com o tema “Unifacisa Viver São João”, o regulamento lançado pela nova trilha permitirá que todos os alunos regularmente matriculados possam participar com equipes de no mínimo quatro pessoas e máximo de oito pessoas. Será permitido que as equipes sejam compostas por alunos de cursos diferentes no qual um único participante não poderá integrar mais de uma equipe.

A trilha será dividida em cinco fases com diferentes objetivos: 1) Divulgação e inscrição; 2) Encontros presenciais para a modelagem do negócio (Business Model Canvas); 3) Apresentação do Canvas (fase do planejamento) para uma banca avaliadora e realização dos ajustes necessários antes do evento; 4) Realização do Evento Junino (fase da execução); 5) Apresentação do Relato de Experiência com base no Canvas (planejamento x execução) e divulgação da equipe vencedora. Além disso, a conclusão de cada fase buscará resultar no desenvolvimento das seguintes competências:

Competência geral: 

Competências específicas:

As inscrições deverão ser realizadas por meio da plataforma Even3 de 15 a 20 de maio através do link. Tenha acesso ao regulamento clicando aqui.

O HackaTruck MakerSpace é um laboratório tecnológico itinerante que visa capacitar alunos de ensino superior em desenvolvimento Swift, iOS, Cloud Services com ênfase em serviços cognitivos e IoT.

Já conhecido por ser uma iniciativa que projeta capacitação profissional na área de  Tecnologia da Informação de maneira itinerante, o HackaTruck MakerSpace é um projeto de capacitação profissional tecnológica feito para estudantes de Instituição de Ensino Superior, que visa aprimorar a criatividade e a desenvolver protótipos de aplicativos e/ou soluções utilizando as tecnologias mais atuais de linguagem de programação Swift, Internet das Coisas e de serviços cognitivos em nuvem. Durante o período de 08/07 a 09/08 o veículo tecnológico estará estacionado no Centro Universitário Unifacisa para a realização de um curso sobre desenvolvimento de iOS para aplicativos móveis associados com Internet das Coisas (IoT - Internet of Things) em ambiente maker, e ênfase em conceitos e práticas de  serviços cognitivos em nuvem. 

A participação é voltada para os estudantes da instituição que realizarem um curso de ensino à distância e que participarem do processo seletivo disponível no site do projeto. Os participantes com a melhor pontuação serão selecionados para as aulas presenciais no caminhão tecnológico. Todos os concluintes das modalidades EAD e presencial têm direito a um certificado de participação, cada qual com uma carga horária distinta.

O laboratório móvel funciona como uma sala de aula e possui capacidade de 28 estudantes por período. Neste espaço são exercitados a capacidade criativa, o senso crítico, além da vivência da metodologia prática com a criação e o desenvolvimento de protótipos de aplicativos móveis. 

Segundo Karina Dias, gerente de inovação e carreiras da Unifacisa, “estamos muito felizes com a chegada do HackaTruck MakerSpace. Somos referência em formação na área da tecnologia e nossos alunos de ADS, Design, Jogos Digitais e Sistemas de Informação consolidam nossa performance de projetos relevantes. Receber iniciativas grandiosas como a do HackaTruck MakerSpace é oportunizar aos nossos alunos linguagens e aplicações com ferramentas tecnológicas de prática de mercado. Será sensacional, para nossos alunos estar em um ambiente de inovação tecnológica para desenvolver protótipos e aplicações com a IBM e parceiros, práticas para além da sala de aula e laboratórios, viver a criatividade em práticas colaborativas”, destacou. As turmas EAD serão preparatórias e eliminatórias. Os cursos são gratuitos com certificado de horas complementares. Os concluintes da etapa EAD ainda terão a chance de concorrer às vagas presenciais na mega estrutura sobre rodas.

Cronograma:

13/05: Bate-papo com os alunos da Unifacisa e o líder do programa Luís Flávio

09h e 19h - Teatro Facisa

13 a 23/06: Cadastro na plataforma do curso EAD

08/07 a 09/08: Curso presencial na Unifacisa

Saiba mais informações aqui.

Coordenadora geral do grupo relatou sobre a história e atividades desenvolvidas pelo programa

Marcado por lembrar igualdade de gênero e legitimação dos direitos femininos na área da Tecnologia da Informação (TI), o Dia Mundial das Mulheres na TI, celebrado no dia 25 de abril, também é conhecido por trazer à reflexão a importância da presença feminina por ter trazido avanços significativos para o setor. Segundo o Blog de Tecnologia, se tornou comum o crescimento do público feminino na área em diversos segmentos que vão desde Ada Lovelace, a primeira programadora da história, até as mulheres que hoje lideram empresas de tecnologia. A Unifacisa apoia a atuação feminina na área de tecnologia por meio do projeto de extensão CodeRosa, composto por alunas dos cursos de de Sistemas de Informação e Jogos Digitais da instituição. 

A iniciativa surgiu em 2016 por meio de um grupo de alunas do curso de Sistemas de Informação que tinham o intuito de incentivar que outras mulheres se engajassem na área de tecnologia. Quase 10 anos depois o projeto segue consolidado e ainda mais aberto, sendo hoje encabeçado por 16 alunas. Michele Santos, coordenadora geral do CodeRosa, explicou que as atividades desenvolvidas são no âmbito do “apoio acadêmico, profissional e pessoal entre as alunas. Somos um coletivo feminino de tecnologia, então atuamos nessa área ministrando workshops, levando grupos de alunas a eventos de tecnologia voltados para o público feminino, aulas e apoio em disciplinas, lanches colaborativos como forma de integrar as alunas novas com as veteranas e muitas outras coisas”, disse.

A coordenadora comentou que foi dentro do CodeRosa que lhe foi oportunizada a ministração de palestras e workshops. Estas e outras oportunidades lhe ajudaram a se desenvolver até a conquista de estágio dando aulas em cursos profissionalizantes. Para elas, a importância das mulheres na TI se dá muito do que é enfatizado no projeto: “trata-se de uma busca constante de equidade. Vivemos com uma população de maioria feminina, logo independentemente da área deveria sempre haver uma presença significativa. O que não ocorre na área da tecnologia, onde somos minoria. Precisamos tomar consciência de que mulheres são boas também atuando na tecnologia. À todas que atuam na TI espero que permaneçam na jornada. Ela é longa, mas juntas podemos mais”, destacou. 

Ainda há muito para ser conquistado para que seja possível alcançar a equidade destacada por Michelle, mas é necessário continuar trabalhando por uma sociedade mais igualitária e justa para todas, principalmente no que diz respeito aos ambientes de trabalho com tecnologia. Neste mês de conscientização da presença feminina na TI, também é essencial parabenizar todas, independentemente da área de atuação, por cada conquista. Que juntas todas possam seguir fortalecendo e empoderando ainda mais espaços para que a equidade de gênero seja sempre comum. 

A marca da Unifacisa se destaca por seu método de educação visando a inovação para impactar positivamente a sociedade. A instituição investe diariamente em programas que buscam preparar os estudantes para se destacarem no mercado de trabalho. Este compromisso se reflete em ações que vão além das aulas teóricas e práticas, são criadas oportunidades de imersão em ambientes corporativos reais.

Com o objetivo de promover a qualificação profissional, foi instituído o programa "Unifacisa Carreiras". Sob a supervisão de Carolina Gadelha, Diretora de Estratégia e Inovação da Unifacisa, essa iniciativa consiste em um portal dinâmico de empregabilidade, focado no que há de mais atual nas respectivas áreas de atuação dos estudantes. Além disso, o programa funciona como um catalisador na preparação e no desenvolvimento de estratégias para enfrentar os desafios do mercado de trabalho, promovendo oficinas, palestras e minicursos para ajudar os estudantes a identificar suas habilidades e competências e se posicionar de forma assertiva no mercado.

Dentre as muitas atividades desenvolvidas pelo setor, o Fórum de Carreiras foi o grande destaque. No evento acontece o posicionamento estratégico de aproximação do aluno com empresas integradoras como o IEL, Sine, Ciee e CIEPE, além do contato com renomados gestores de empresas nacionais e multinacionais, bem como oficinas e capacitações com premissas de mercado. Ainda é oportunizado a diversos alunos a participação como voluntários em ações e eventos acadêmicos. Desde o início, o encontro buscou realizar diversos networking e o fomento a cultura empreendedora com parceiros institucionais, egressos e alunos de todos os cursos da Unifacisa.

De acordo com a Gerente do setor de carreiras, Karinas Dias, “no ano passado a nossa plataforma realizou mais de 1mil capacitações em currículos do futuro, inúmeras vagas de estágios e parcerias com empresas. Em 2024 estamos fazendo parte do time da Gestão Acadêmica, onde  abraçamos a área de estágio não obrigatório dentro da plataforma, o que dá mais agilidade e segurança a todos os envolvidos. Nossa missão continua sendo fazer o bem educando, conectando os melhores talentos às oportunidades de empreendedorismo e do mercado de trabalho”, explicou.

Diferenciais do Unifacisa Carreiras:

Para participar do Programa Unifacisa Carreiras, clique aqui.

Aconteceu na tarde de ontem (21), na Gigasala da Unifacisa, o Encontro de Líderes Estudantis da instituição. O momento reuniu todos os representantes de classe dos cursos de graduação, além dos coordenadores, professores e o setor de inovação e carreiras.

Além de gerar a promoção da troca de experiências e criação de estratégias inovadoras que ampliem o conhecimento dos discentes a respeito dos benefícios no Ecossitema, o encontro também visou o lançamento do programa “Viver Unifacisa”. A iniciativa é comandada pela Coordenadora Pedagógica, Kátia Passos, que cuidará da parte psicopedagógica, e pelo Coordenador do curso de Psicologia, Adriano Barros, que cuidará de saúde e bem-estar.

O programa foi apresentado por seus coordenadores que frisaram como ele foi criado: “a ideia surgiu a partir da necessidade de melhoria da experiência do aluno na faculdade, ampliando as possibilidade de desenvolvimento pessoal e melhor aproveitamento dos potenciais que a IES já possuem. Viver realmente o ideal do ‘além da sala de aula’, tendo como foco as soft skills. A ideia foi discutida na Diretoria Acadêmica e apresentada à Reitoria após uma discussão feita durante o planejamento institucional”, explicaram.

O encontro foi dividido em vários momentos com falas, debates e alinhamentos de ideias. Ainda houve uma oficina criativa, um momento de brainstorming sobre carreiras, mentorias e construção de pitchs de sucesso. O evento encerrou com a fala da Gerente de Inovação e Carreiras, Karina Dias, agradecendo a todos pela participação e interação durante a tarde.

Por André Bojim - Assessoria de Imprensa Unifacisa

Através de grandes investimentos nos programas de pesquisa e extensão, a graduação em Jogos Digitais da Unifacisa busca – por meio da prática – transformar aspirantes ao setor em profissionais de destaque no mercado de trabalho. Além de um corpo docente qualificado e multidisciplinar, o curso conta com uma estrutura robustamente atualizada que prepara os estudantes para lidarem com qualquer tipo de atuação dentro do setor. Por meio destas características torna-se comum que os egressos da instituição tornem-se profissionais de sucesso, assim como Arilson Souza dos Santos que concluiu sua graduação no ano passado e já conquistou uma vaga na maior empresa de games do Brasil.

O ex-graduando da Unifacisa, atualmente, é colaborador da Kokku Games Ltda, conhecida como a maior empresa brasileira que tem como foco o desenvolvimento e co-desenvolvimento de ativos e produtos digitais de alta qualidade. Além de possuir parceria com renomadas empresas de jogos como a Paradox, Electronic Arts, Tencent e Roblox, desta corporação já saíram muitos jogos mundialmente famosos, entre eles: Horizon Forbidden West, Horizon Zero Dawn, Call of Duty Black Ops: Cold War. “Eu trabalho na parte de user experience e user interface design, que é uma área centrada em criar propostas e produtos que proporcionam uma melhor interação entre o usuário e a plataforma com a qual ele interage. Dentro da empresa trabalhamos em times com diferentes profissionais de games em um clima bastante agradável, organizado e produtivo”, destacou.

A trajetória até a conquista desta oportunidade foi repleta de aprendizados e muitas autodescobertas. Entre as lições internalizadas no meio do caminho, Arilson destaca que sua graduação na Unifacisa possui grande parcela no profissional que ele é hoje. “Acredito que a universidade teve uma influência muito significativa em minha jornada. Sem o conhecimento certo e as experiências proporcionadas por ela, eu não teria seguido esses caminhos nem feito as escolhas fundamentais que me levaram até onde estou hoje”, disse. O egresso ainda especificou sobre o quão proveitoso foi ter se graduado por meio de um currículo que abrange “um conhecimento técnico e teórico de várias áreas que são necessárias para a produção de um jogo como um produto digital, desde o processo de seu nascimento até o seu processo final, pós-produção e processos de divulgação e marketing”, pontuou.

O profissional também explicou como se deu seu processo para descobrir qual era a área que ele tinha mais afinidade e como os docentes da Unifacisa participaram desse processo de profissionalização. Segundo ele, “quando estava encerrando meu ciclo acadêmico, conheci a área de UX/UI Designer por meio de um projeto de pesquisa para produção do projeto de conclusão de curso. Me identifiquei profundamente com ela, e desde então tenho dedicado bastante tempo ao estudo dessa área e à evolução do meu conhecimento sobre. Todos os professores desempenharam um papel fundamental na minha jornada como aluno dentro da faculdade. Para mim, em particular, destaco Daniel Leite. Ele não apenas me orientou quanto aos caminhos corretos a seguir na área em que desejava ingressar, mas também me guiou nas etapas mais vantajosas para acelerar meu aprendizado e facilitar minha inserção no mercado”, frisou.

Para Arilson, todas as vivências dentro da academia “proporcionaram uma boa capacitação para o cargo atual que estou hoje, pois dentro dele trabalhamos muito com a experiência de um usuário em relação às plataformas e produtos que produzimos. Esses conhecimentos derivados proporcionam uma facilidade nos quesitos de pesquisas e também em sugestões de melhores propostas para o nosso público-alvo”, explicou. Ele ainda concluiu que “meus planos para o futuro são evoluir ainda mais meu conhecimento na área que estou atuando, acredito que tenho uma grande jornada a ser traçada e tenho convicção que dei um ‘start’ muito grande este ano nela. Também quero aprimorar o conhecimento em línguas estrangeiras para estar preparado para as futuras oportunidades e estar capacitado para o mercado de trabalho”, encerrou.

Por André Bojim - Assessoria de Imprensa Unifacisa

Transformar estudantes em profissionais humanos, multidisciplinares e preocupados em contribuir socialmente. Esse sempre foi o conceito base da educação inovadora transmitida pela Unifacisa durante os seus mais de 20 anos de atuação. Tal premissa é seguida em todos os cursos da instituição, inclusive naqueles que são voltados para o setor tecnológico. O curso de Jogos Digitais é um gerador de experiências por trabalhar diretamente com a tecnologia. Sem esquecer da responsabilidade social, a graduação tende a formar não só profissionais, como também cidadãos. Daniela de Castro Rodrigues Abrantes é um grande exemplo de profissional e egressa do curso que, mesmo após formada, segue, por meio da sua experiência multidisciplinar, em busca de transformar a sociedade.

Formada desde 2018, a egressa hoje trabalha como diretora de arte e é mestranda do Programa de Pós-Graduação de Design da Universidade Federal de Campina Grande. O percurso até chegar nos dias atuais foi repleto de descobertas e, segundo ela, tiveram o envolvimento essencial da Unifacisa. “A graduação proporcionou infinitos conhecimentos na área, através dos projetos acadêmicos, que estimularam a minha criatividade e resolução de problemas, criando uma base sólida principalmente de ferramentas que hoje eu utilizo no meu dia a dia profissional. Sou diretora de arte e o curso de Jogos me permitiu conhecer ferramentas, técnicas e princípios que puderam ser utilizados na minha vida profissional”, destacou. A designer ainda pontuou que “os professores sempre estiveram presentes na minha trajetória desde o início do curso. Sem toda a expertise e mentoria deles, em especial ao coordenador atual do curso, com certeza eu não teria conseguido chegar aonde cheguei”.

Dentro da graduação, Daniela viveu experiências que foram cruciais para decidir as áreas de atuação as quais ela gostaria de estar atuando. Entre estas, a profissional destacou algumas como “estágio como game design no projeto do MPT; monitora por um ano em duas disciplinas de desenho; participação de um projeto de pesquisa, onde a nossa equipe desenvolveu e publicou dois artigos científicos sobre Gamificação. Também participei de um curso de fundamentos de design gráfico para Jogos Digitais, desde então optei por seguir na minha vida profissional como designer gráfico”, esclareceu. Assim, estas vivências abriram portas para que a egressa também optasse por seguir carreira acadêmica onde, no mestrado, sua pesquisa une a área de neurodesign com a gamificação, “visando aplicações práticas para que profissionais educadores consigam unir aspectos do design e elementos de jogos no seu dia a dia de modo que engajem alunos, evitando evasão escolar e outros problemas sociais”, externou.

Para o futuro, Daniela sublinhou que “pretendo continuar a unir a área de Jogos Digitais e design, seja no meu trabalho ou na minha vida acadêmica, através de pesquisas que contribuam com o bem estar social”, encerrou.

Por André Bojim - Assessoria de Imprensa Unifacisa

Cabaceiras é o nome do lugar que carrega o título de Roliúde Nordestina. Por ter ótimas condições climáticas, ela é uma espécie de cidade cenográfica e real ao mesmo tempo.

Em uma iniciativa pioneira, a Unifacisa reforça seu compromisso com a responsabilidade social ao integrar o ensino superior às demandas reais da sociedade por meio do programa Desafio Unifacisa. Este programa, que visa estabelecer uma sólida ligação entre o conhecimento acadêmico e a comunidade, destaca-se por proporcionar aos alunos experiências transformadoras através da organização de pesquisas interdisciplinares.

Para o Desafio da cidade de Cabaceiras, cursos como Arquitetura, Nutrição, Sistemas de Informação e Jogos Digitais, uniram forças para criar projetos que não apenas aplicam o conhecimento adquirido em sala de aula, mas também têm impacto direto na comunidade local, na recepção dos turistas e na parte gastronômica da cidade.

Um dos projetos de destaque foi a criação de um "Mapa Gastronômico", que foi pensado pelos alunos de arquitetura e urbanismo, nutrição e sistemas de informação, e visa destacar os tesouros culinários da região e promover a rica tradição cultural local. O mapa ficará exposto em vários pontos da cidade para que os turistas possam apreciar a arte culinária da cidade.

Outra contribuição significativa foi o desenvolvimento de um aplicativo chamado "Cabacity", que reúne informações essenciais para os visitantes e moradores da cidade. O aplicativo inclui detalhes sobre restaurantes, hotéis e pontos turísticos, proporcionando uma experiência mais fluida para quem deseja explorar tudo o que Cabaceiras tem a oferecer. Essa iniciativa não apenas facilita a vida da comunidade local, mas também fortalece o turismo na região.

Além disso, os estudantes de sistemas e jogos digitais deram vida ao jogo inovador chamado “Bode Rei - As aventuras em Roliúde”. O game não só entretém, mas também educa, apresentando os principais locais da cidade de forma envolvente e interativa. A identidade visual única do jogo reflete a essência e a beleza de Cabaceiras, tornando-se uma ferramenta lúdica para promover a cidade.

O impacto desses projetos reforçam o propósito do Desafio Unifacisa, que vai além da sala de aula, demonstrando o compromisso da Unifacisa em devolver à sociedade por meio do conhecimento adquirido por seus alunos. Essas iniciativas promovem a integração entre o ensino superior e a comunidade, ressaltando o desafio dos futuros profissionais em perceberem o poder de transformar o conhecimento aplicado soluções inovadoras em busca do desenvolvimento social.

Para o professor e coordenador do projeto, Daniel Abella, “competências como a de Projeto Integrador possibilita aos alunos terem uma experiência prática e com projetos reais anterior à conclusão do curso, culminando em uma formação ainda mais sólida. Os alunos e professores dos cursos de Sistemas de Informação, Jogos Digitais, Arquitetura e Nutrição estão deixando uma grande contribuição para a cidade de Cabaceiras.”, concluiu.

Coordenador e docente do curso da Unifacisa relatou sobre oportunidades e destaques da área

Segundo o professor e coordenador do curso de jogos digitais da Unifacisa, Daniel Leite Costa, a graduação nesta área é relativamente recente. O setor, por mais que tenha surgido inicialmente de experimentos acadêmicos, as primeiras gerações de profissionais que desenvolviam jogos digitais eram oriundos de outras áreas, como arte e ilustração, design e programação. Com o amadurecimento do setor, durante a década de 1990 e nos anos 2000, iniciaram o surgimento das graduações específicas em jogos digitais e, entre elas, a da Unifacisa também se destaca como uma das mais tradicionais e pioneiras do país. 

Dentro do setor, segundo Daniel, três áreas ganham destaque: 1) a parte de design, que se dá a partir da criatividade e que projeta o jogo. Envolve o game design, worldbuilding, narrativa, projeta mecânicas, entre outras atividades que dão vida ao jogo; 2) a parte de arte, envolvendo desenho, ilustração 2D e modelagem 3D, animação e concept art. São os responsáveis que dão a camada visual e estética ao jogo; 3) a parte de desenvolvimento, responsável pela programação e a utilização de motores de desenvolvimento, as conhecidas engines, como Unity, Unreal, Godot e Construct. São os profissionais que fazem o jogo sair da ideia conceitual e visual para um produto interativo, jogável e funcional.

No que diz respeito aos cargos com oportunidades em crescente busca para contratação, o docente destacou duas e reforçou que, dentro do setor, ainda há ocupações com carência de profissionais e que, por esta razão, estão sempre em primeira posição para contratações. “Hoje, a área de desenvolvimento e do uso das engines é muito forte e com muitas oportunidades por acompanhar muito de perto o mercado de sistemas da informação e até mesmo outros tipos de projetos. As áreas de arte, como de design, também são bem fortes, com boas oportunidades. Ainda existem alguns cargos específicos que são bem difíceis de achar pessoas de qualidade e que acabam tendo até muitas vagas em aberto, como a área de VFX (efeitos especiais) e animação, por exemplo.”, apontou. 

Para saber quais são os cargos do setor com maior procura pelo mercado de trabalho é necessário estar atualizado. Segundo o coordenador, “na nossa área, atualização é tudo. As ferramentas vêm e vão, se atualizam, mudam e até são extintas. Estar sempre atualizado é praticamente uma necessidade. Evidente, o profissional, após formado, deve estar sempre conectado, com um bom networking dentro da indústria e da academia e também procurando cursos de capacitação ou mesmo de especialização em sua área de atuação”, aconselhou.

Por meio de uma metodologia inovadora que une teoria e prática, os professores do curso de jogos digitais da Unifacisa estão sempre de olho nas novas tendências do mercado, observando as novas ferramentas e entendendo como é possível integrá-las às práticas de ensino. Dessa maneira, a graduação da instituição “abrange, de forma equilibrada, as principais grandes áreas do ramo. O curso é desenhado para que haja uma evolução progressiva no aprendizado e na complexidade dos conteúdos. No entanto, já nos primeiros módulos os alunos têm contato com práticas, métodos e ferramentas profissionais. Além disso, temos diversos professores atuando na indústria. Eu mesmo, por exemplo, trabalho em uma das maiores desenvolvedoras de jogos do Brasil. Essa ponte facilita a transmissão do que, de fato, o mercado de trabalho está necessitando”, frisou. 

Por fim, o Daniel expôs como o curso de jogos digitais da Unifacisa se compromete a buscar meios que tragam atualizações constantes aos discentes por meio de uma “agenda de talks e workshops, com diversos profissionais de studios brasileiros e internacionais, de pequeno e grande porte, para trazer para nossos alunos, de forma direta, a realidade do que está acontecendo no mercado de trabalho. Além disso, o curso proporciona uma estrutura curricular muito rica e abrangente, que forma um profissional multifacetado e versátil, capaz de atuar em diversas áreas do gamedev.”, concluiu. 

Por André Bojim - Assessoria de Imprensa Unifacisa

Está com dúvidas?

Temos uma turma pronta para te atender!

Conheça mais opções

Fale no WhatsApp

Tire suas dúvidas
Falar agora

Ligar

83 2101 8877
Ligue agora

Deixe uma mensagem

Deixe sua mensagem e nós entramos em contato com você
Enviar mensagem

Repositório Acadêmico

Editais, portarias, resoluções e outros documentos
Acesse agora

Manual do Candidato

Referente ao processo seletivo 2024.1
Fazer download

Sou Unifacisa

Acesso aos principais ambientes para alunos e colaboradores
Acesse agora

Unidades

Unifacisa - Campus Itararé

Av. Sen. Argemiro de Figueiredo, 1901 Itararé, Campina Grande - PB 58411-020
Abrir no maps

Unifacisa/Esac - Campus Catolé

R. Luíza Bezerra Mota, 200 Catolé, Campina Grande - PB 58410-340
Abrir no maps
CESED - Centro de Ensino Superior e Desenvolvimento Ltda.
© 2024 Todos os direitos reservados.
CNPJ: 02.108.023/0001-40
Tire suas dúvidas
crossmenu